Último pedido

Dorme ou descansa?
Sofre

  
Por que será que acontece?
Até com quem não merece
Percorro o frio corredor
As portas escondem dor
Na cadeira de rodas, a mulher triste e serena
Dominada pelo remédio que a envenena
No quarto entro hesitante
Músculos tensos: a cena é chocante
  

“Ora, meu amigo, não precisa tanto espanto”
“Enxuga logo esse pranto”
“Não se desespere”
“e lança fora a revolta que te fere”
“Se sou retrato de aflição”
“Também sou coragem, dignidade e lição”
“Aprenda a partir de agora”
“E por toda vida afora”
“Se estiver à beira de desanimar”
“Lembre-se do que eu tive que passar”
“Veja que meu corpo é mais osso que carne”
“Nem assim faço disso grande alarde”
“Ovo de páscoa é meu último desejo”
“Adeus! Quem sabe um dia ainda te vejo”
  
E agora o que havia já não há
É todo dia que se morre
O que fui ontem já ficou pra lá
E quando não mais se morre
É o fim que nos socorre


Dorme ou descansa?
Flutua