A procissão dos imberbes

É uma aparição no meio da neblina. Vieram da noite e agora, divisa entre madrugada gelada e manhã morna, irrompem pelo silêncio da cidade. Atentos àquela trupe descompassada, os cães de rua preferem manter distância prudente. Feito cortejo fúnebre, o grupo vem vindo devagar, eles parecem voltar de uma batalha, não se sabe se vencedores ou derrotados. Há uma figura de destaque amparada por todos os outros. Cambaleia, geme, tamanha dor faz do rosto uma conjugação de caretas. A janela se abre pelo caminho, lá do alto uma senhora não se aguenta de curiosidade:

“Isso foi tiro, foi?”

Do meio da comitiva, uma voz se levanta:

“Antes fosse, antes fosse. Isso aqui é caso de coração partido.”